Cosmética verde, onde encontrar?

Cosmética verde, onde encontrar?ph.Anthony Tran

A cosmética verde é, cada vez mais, uma realidade. Comprar biológico é promover a simbiose entre a beleza e a ecologia, mas existem diferenças entre produtos naturais, vegan e orgânicos. Como saber se estamos a ser, sem quaisquer dúvidas, amigos do ambiente?

Para começar, um produto orgânico, além de ter uma fórmula natural, é livre de ingredientes geneticamente modificados (OMG) e sintéticos. Mas nem todos os produtos naturais são orgânicos, uma vez que a sua composição pode conter uma percentagem de ingredientes sintéticos.

Por sua vez, existem produtos vegan (que não têm ingredientes animais) que testam em animais (não sendo, por isso, cruelty-free). Não esquecendo os que, sendo cruelty-free na Europa, testam em animais em laboratórios chineses para obedecer às leis locais (caso contrário não podem vender no mercado chinês).

Recomendo a melhor explicação de sempre:

As diferenças entre os cosméticos naturais, vegan e orgânicos
- artigo de Helena Magalhães, in Observador

Um produto só é considerado 100% amigo do ambiente (biológico certificado) se for constituído por um mínimo de 95% de ingredientes naturais, provenientes de agricultura biológica, cruelty-free e livre de aditivos sintéticos, parabenos, silicones, corantes ou perfumes.

Para além, claro, de outras questões relacionadas com o processo de obtenção (que não deve utilizar pesticidas), a embalagem e a própria distribuição. Assim, a utilização de organismos geneticamente modificados (OMG), nanotecnologia e irradiação são processos tecnológicos não recomendados na elaboração de cosméticos biológicos (caso contrário, o produto não é assim tão verde).

Receita para fazer desodorizante natural

Ilustração por Meggie Ramm

13 ingredientes a evitar

1. Parabenos*
2. Formaldeído
3. 1,4 Dioxane
4. Ftalatos
5. Lauriléter sulfato de sódio
6. Triclosan
7. Polietilenoglicol
8. Fenoxietanol
9. Trietanolamina (TEA)
10. Dietanolamina (DEA)
11. Etanolamina (MEA)
12. Vaselina
13. Talco

*De acordo com a indústria da cosmética biológica, os parabenos são nocivos à pele. Contudo, a Comissão Europeia permite a presença em cosméticos de Metilparabeno, Etilparabeno, Propilparabeno e Butilparabeno, que actuam como conservantes e, por isso, garantem a qualidade e segurança dos produtos durante o seu prazo de validade. A farmacêutica Marta Ferreira desmistifica a questão no seu blogue A Pele Em Que Habito.

Quais as vantagens e desvantagens?

Desde há séculos, como no antigo Egipto, que se realizam práticas de beleza com utilização de plantas e óleos essenciais para cuidar da pele e, na América, diversas civilizações (como os Aztecas) confeccionavam maquilhagem a partir de pigmentos de plantas.

A cosmética verde respeita não só a pele como o meio-ambiente.

A cosmética orgânica (ou predominantemente constituída por ingredientes naturais) alega adaptar-se melhor a cada utilizador, possuir um efeito regenerador mais eficaz e ser especialmente indicada para peles sensíveis.

As mudanças costumam ser visíveis entre duas a quatro semanas e, embora os resultados não sejam imediatos e o prazo de caducidade do produto seja menor, considera-se que a reparação é profunda. Ao ser elaborada com ingredientes naturais, especialmente essências, a cosmética verde declara actuar sobre a epiderme, melhorando a textura e intensificando a renovação celular.

Porque é difícil encontrar ou porque excede o orçamento, se não puder comprar 100% orgânico*, recomenda-se optar por produtos vegancruelty-free e cujos ingredientes sintéticos apareçam no fim da lista (uma vez que significa que a percentagem utilizada é menor).

*Atenção: quer os produtos orgânicos quer os naturais continuam a ter químicos, uma vez que toda a matéria é composta por químicos. A farmacêutica Marta Ferreira explica num artigo o perigo do que apelida de “quimicofobia”. Recomenda-se também a leitura de Maldita Química, no blogue Scientificus.

Recomendo:

Barra de pesquisa da PETA para encontrar marcas cruelty-free
Rótulos de cosméticos certificados
Quais as melhores marcas de cosmética verde?

A Kora Organics, criada pela manequim Miranda Kerr, é uma das marcas destacadas em artigos sobre cosméticos biológicos. Orgânicos e naturais certificados, cruelty-free e quase 100% vegan (com excepção de quatro produtos, que contêm ingredientes animais mas não contribuem para o sofrimento animal, como cera de abelha e leite de cabra).

Em Portugal, com lojas físicas em Lisboa e no Porto, a Organii vende cosmética orgânica certificada. A 2.ª edição do Eco Market (mercado ecológico) da marca portuguesa realizar-se-à dia 3 de novembro, na LXFactory. O programa inclui workshops e talks sobre o que se faz de bom para o planeta, saúde e ambiente.

Não sendo de todo especialista nem consumidora ávida de produtos 100% orgânicos, não posso indicar as melhores marcas, mas posso referir três de que gosto muito – todas cruelty-free (não testam em animais).

Quem disse, Berenice?

Quem disse, Berenice?, do mesmo grupo do gigante brasileiro O Boticário, para além de ser cruelty-free, é glúten free e não apresenta parabenos na maior parte dos seus produtos. Contudo, não é 100% vegan, uma vez que vende alguns produtos de origem animal.

Lush

A Lush é 100% cruelty-free vegan, para além de 35% dos seus produtos não estarem embalados e os restantes serem embalados com materiais reciclados e recicláveis. Mas utiliza alguns conservantes sintéticos (embora seguros).

The Body Shop

A The Body Shop é cruelty-free e, de momento, está a apelar, em parceria com a Cruelty Free International, à assinatura de uma petição para proibir de vez, e em todo o mundo, os testes de  ingredientes e produtos de cosmética em animais.

Não é 100% vegan, embora tenha produtos 100% vegan. Mas é 100% vegetariana, o que significa que os seus produtos de origem animal não contribuem para o sofrimento animal, como mel, cera de abelhas e lanolina (um produto natural obtido a partir da cera de lã bruta).

Até 25 de setembro, a marca está a incentivar à reciclagem, premiando com um creme de mãos quem, no acto de compra de um outro produto (sem quantia mínima), entregar uma embalagem vazia da The Body Shop.


Caso estejas familiarizada/o com cosmética verde, não te esqueças de partilhar a tua opinião e outras sugestões de produtos amigos do ambiente. Assim como de artigos e blogues especializados na temática, como o Konscious Whispers.

Comenta