Biomedicina em banda desenhada? Sim e com células estaminais!

Aventura Estaminal - Ramalho-Santos e André Caetano

Uma Aventura Estaminal, de João Ramalho-Santos e André Caetano, trata-se de uma banda desenhada, destinada a alunos do secundário e do ensino superior, que explica o que são as células estaminais.

ARTE E CIÊNCIA: É POSSÍVEL?

João Ramalho-Santos, presidente do Centro de Neurociências e Biologia Celular (CNN) da Universidade de Coimbra, adora tanto ciência como banda desenhada. O cientista é também argumentista e coproprietário de uma loja especializada.

Em 1998, efetuou o Frontiers in Reproduction, um curso intensivo lecionado no Marine Biology Laboratory, em Massachussets. Na altura, publicou um ensaio, com elementos de ficção, sobre uma banda desenhada belga. A estreia de argumentos de BD surgiu em 2004, mas a paixão já é antiga. A ligação entre arte e ciência só chegou quando adulto.

COMUNICAÇÃO DE CIÊNCIA: UMA AVENTURA ESTAMINAL

Durante alguns anos, a sua investigação focou-se, sobretudo, nas características de espermatozóides. As células estaminais possuem mecanismos idênticos e o objetivo do estudo é obter populações celulares 100% puras, quer do cérebro ou do músculo cardíaco. Uma Aventura Estaminal é a banda desenhada, ilustrada pelo premiado André Caetano, que Ramalho-Santos escreveu.

As crónicas foram inicialmente publicadas no jornal Diário de Coimbra entre dezembro de 2011 e maio de 2012. Resultaram num projeto de divulgação científica intitulado Quero Mais e Melhores Células! Células Estaminais: O que são? Onde estão? Para que Servem?, no âmbito do Programa COMPETE – Média Ciência. O projeto de comunicação de ciência é ainda constituído por vídeos criados pela equipa do CNN.

O livro foi premiado com um galardão americano, atribuído anualmente desde 2011, que visa premiar os antigos alunos da formação em Massachussets que se destacam na área de Biologia Reprodutiva. Ramalho-Santos foi o primeiro português a ganhar.

No site EuroStemCell, no qual disponibilizaram gratuitamente a BD, explicam que a intenção é “transmitir conceitos básicos relacionados com células estaminais, as suas propriedades e possíveis utilizações. E também explicar alguns problemas no uso potencial da tecnologia.”

CNN acredita que um maior conhecimento em áreas científicas possibilita melhores tomadas de posição enquanto cidadãos. É, por isso, importante apostar-se na divulgação científica, através de crónicas nos jornais, entrevistas na rádio, vídeos e, claro, até livros de banda desenhada.

Comenta